segunda-feira, 18 de outubro de 2010

a 'espiritualidade lindinha'

daqui
a expressão foi 'roubada' ao António e espero que ele não se importe que a use. e a sensação que me dá ao ouvi-la é que temos andado a tratar do nosso espírito - ou alma, ou o que preferirem chamar-lhe - um pouco como quem trata das unhas dos pés, do cabelo, da gordura a mais na barriga, das rugas, dos pêlos e por aí fora. 
a par dos inúmeros institutos de estética que proliferaram um pouco por toda a parte nos últimos anos,  onde vamos cuidar da nossa imagem exterior para ficarmos 'lindinhos' por fora, houve também a proliferação dos 'centros anímicos' - onde vamos tratar da beleza interior, para ficarmos 'lindinhos' por dentro. a oferta é para todos os gostos, todos os géneros e todas as bolsas e contempla um sem fim de técnicas, experiências, vivências e posições. do yoga às massagens, dos tratamentos de reiki às regressões a vidas passadas, dos retiros de silêncio às curas xamânicas, das leituras da aura ao alinhamento dos chakras, das meditações aos círculos de cura, das consultas e cursos de astrologia às palestras sobre os mais variados assuntos, das canalizações ao transe assistido, dos livros de auto-ajuda aos 'manuais de instruções' dos gurus, nunca, como nesta dita 'nova era' nos esforçámos tanto por ser (parecer?) 'lindinhos' por dentro.
mas, afinal, lindos por dentro nós sempre fomos... ou não? lindos e... feios! e é aí que reside o engodo da 'espiritualidade lindinha'. ao prometer-nos mundos e fundos para a alma, exactamente da mesma forma e na mesma medida que a indústria estética promete fundos e mundos para o corpo, o resultado, na maior parte das vezes, é a vivência de uma espiritualidade plástica, asséptica e aquém dos resultados que, neste momento, o universo nos pede para, realmente, ascendermos e elevarmos a humanidade à raça dos anjos.
e isso, pese embora a importância e a influência que cursos, palestras, retiros, livros, encontros, massagens, cristais e etc. e etc. e etc. poderão ter... isso não chega! e não há ninguém neste mundo, a não ser cada um, em silêncio e consigo, quem poderá encontrar a 'receita' para que o seu espírito se manifeste neste tumulto  em que transformámos a Terra.
ainda no outro dia, pasmei perante uma 'lista de regras para a nova era' que vi por aí. fiquei que tempos a tentar perceber o que era que me incomodava naquilo. pode ser uma mera questão de conceitos, mas 'lista' e 'regras' não condizem de todo com o que entendo por 'nova era'. a Era de Aquário, acredito, será uma manifestação de excepções - e as velhas 'listas de regras' um vício caduco da Era de Peixes, em que tentámos impor uns aos outros as nossas meias verdades. acredito, então, que manifestar a excepção  - e o ser excepcional - que cada um de nós É, deixando os 'supostos', as 'regras' e o 'by the book' de lado é a única forma de fazer emergir a espiritualidade de que todos somos dotados.
diz o António que a 'espiritualidade lindinha' tem os dias contados e eu estou de acordo. chega de andar a brincar aos iluminados, exibindo 'egos' que estão tão bem trabalhados que já quase nem damos por eles, curriculos que não têm fim de tanto que já andámos de um lado para o outro a acumular conhecimentos e cursos, asas que - para já - ainda não estão tão abertas como as dos anjos e que apenas nos deixam voar baixinho e em círculos.
a 'espiritualidade lindinha' tem os dias contados porque, primeiro, é necessário sentir, assumir, aceitar, que somos lindos e... feios! e que a luz que emanamos não brilharia se não fossem as sombras, que todos somos também.



15 comentários:

  1. Inês

    Texto fantástico. 1+1+1+1 e ninguém falha no entendimento.

    «não há ninguém neste mundo, a não ser cada um, em silêncio e consigo»

    não conheço outra forma. :))

    ResponderEliminar
  2. Inês,
    Eu aplaudo você em pé!
    Excelente!
    Ah! como eu gostaria que muitos "lindinhos" pudessem ler isso!!!
    Vou partilhar no FB.
    Adorei.
    Beijos
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  3. Ah também aplaudo de pé , junto com a Astrid!

    Excelente , texto sim.

    Também vou te publicar, tudo bem ?

    www.windmillsbyfy.wordpress.com

    bj

    Fy

    ResponderEliminar
  4. Inês, maravilhoso texto
    Assino embaixo, digo mais: gostaria de tê-lo escrito.
    Assusto-me muitas vezes com as performances de experts em nova era, melhor dizendo, sendo muito sincera incomoda-me receber e-mails com canalizações de mestres oriundas de pessoas/ "gurus' de Fraternidades, de ler mensagens de anjos, arcanjos, até de Maria, mal redigidos, parágrafos com idéias repetidas, repletas de conselhos que chegam a beira da infantilidade.
    Todos falam mas nem todos conseguem "na prática" serem essencialmente bons.
    E ser totalmente bom num mundo como este, quem o é? E o que é ser totalmente bom?
    Não o sei...estou aqui aprendendo, e duvido daqueles que proclamam suas virtudes em alto e bom som.
    Se eu pudesse cumprir pelo menos alguns itens do "Sermão de Monte" , seguir as palavras de Jesus, que podem ter sido forjadas por religiosos da época, mas contém conteúdo moral e puro amor que se seguido a risca já teríamos há muito paz e tranquilidade.
    Parece que estamos numa grande escola on line, tu escreves uma mensagem , eu "tenho" que escrever uma melhor... parece competição , guerra de anjos.
    Excelente reflexão. vou levá-la aqui comigo, assim é o aprendizado, claro e aberto, sem disfarces.
    Obrigada pela partilha.
    Beijos no teu coração!

    ResponderEliminar
  5. António,

    este blog nasceu de uma consulta consigo, que foi tudo menos uma consulta de 'espiritualidade lindinha' e onde as sombras - obviamente - também vieram à baila. e gosto muito de o ter por cá e de poder andar por lá - pelo seu - e desta rede que nos ampara, mesmo que, de facto, o caminho seja de cada um e consigo :))

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Astrid,

    não sei se alguns 'lindinhos' não leram já... e também eles, como sabemos, são lindos :)
    agradeço a sua presença e também eu aplaudo a forma como conduz o seu barco de navegante do infinito.

    beijo grande

    ResponderEliminar
  7. Maria Izabel

    'beijo no coração' é uma expressão bem brasileira :)
    e outro de volta no seu ♥

    ResponderEliminar
  8. Muito bom texto. Finalmente juntos começamos a acordar da espiritualidade lindinha q nos propociona asas sim, mas q só nos permite voar baixinho e em circulos. Somos muito mais do q isso, cabe-nos a todos nós individualmente assumir o nosso papel como ser e intervir, criar, materializar, sair da teoria. Só dps de nos encontrarmos e respeitarmos, só depois de escolhermos materializar a nossa verdade, conseguiremos unirmo-nos de verdade e em verdade. muito obrigado inês por partilhares o q vai na tua alma. Fizeste-me sentir acompanhada :)um abraço e até sempre.
    nádia grazina

    ResponderEliminar
  9. obrigada eu, Nádia, pela tua presença.

    e um abraço de volta :)

    ResponderEliminar
  10. Tb assino embaixo e vou compartilhar!!!! bjosss

    ResponderEliminar
  11. Só me apetece dar-te beijos na boca! Tenho dito!

    ResponderEliminar
  12. Que beleza! Instigou-me a pensar minhas práticas.

    ResponderEliminar