terça-feira, 4 de janeiro de 2011

eu estou bem, obrigada, e vocês?



foi assim de repente, entre o arrumar da muita tralha que se acumula numa das salas aqui de casa e o vir num instantinho ao computador, mais pelo vício do que propriamente pela necessidade - o que, obviamente, vai dar no mesmo, vício ou necessidade é tudo a mesma ilusão - e depois foi abrir o  e-mail e espreitar se havia notícias, e depois foi dar a voltinha da praxe pelo livro das caras, as minhas filhas mais novas foram para casa do pai e os dois mais velhos estão num sossego, ainda não sei o que vai ser o jantar, mas qualquer coisa há-de ser, e de repente senti-me tão bem, obrigada obrigada obrigada! e com tanta vontade de vos dizer que abri o blogue e pensei que, ultimamente, a escrita tem tido um tom sério e que hoje estou mais numa de só estar bem, obrigada, e de escrever assim mais levezinho e de bem me querer.
é. pensar dá trabalho, na maior parte das vezes também dá asneira, sobretudo quando se pensa e repensa e se volta a pensar e às tantas o novelo na cabeça é tão grande que parece que já nem somos nós que pensamos, mas alguém que nos pensa, e que em vez de pensarmos somos pensados, prensados pela mente, entalados por tanta coisa que nos sufoca e, de repente, damo-nos conta que não é nada, pensar para quê?, estar bem, obrigada, é tão raro, se forem a ver é tão português perguntar, então, como estás? e nunca é estou bem obrigada, é sempre um esgar, um mais ou menos, um vai-se andando, um menos mal e hoje não é nada disso, pelo menos comigo, estou mesmo bem, obrigada, sem me obrigar a coisa nenhuma que não seja fluir e boiar e escrever de rajada o que me sai  directamente dos dedos e nem sequer me passa pela cabeça pensar se o que estou a escrever faz sentido ou não faz.
é. estou bem, obrigada, e vocês? vocês que tantas vezes não faço ideia quem são, que aqui vêm dar nem sequer sei vindos de onde, por vezes espreito as 'estatísticas' e vejo que vêm de lugares tão distantes como da Coreia do Sul, do Nepal, do Japão, das Maldivas... mas quem é que, nas Maldivas, se dá ao trabalho de vir espreitar um blog de humanidades e de porquês, quem é que no Japão pode estar interessado naquilo que eu aqui vou escrevendo, um dia gostava de ir ao Nepal e, já agora, ao Tibete.
a sala, entretanto, a que está há meses cheia de tralha e que me pus a arrumar antes mesmo de as minhas filhas mais novas terem saído, está com tudo espalhado no chão e, se hoje fosse outro dia,  um dia de esgar, um dia de mais ou menos, um dia de vai-se andando, um dia de mal me querer, talvez eu estivesse preocupada, stressada, a pensar qualquer coisa do género, ai tanta coisa para arrumar e eu aqui a escrever parvoíces, mas eu hoje estou bem, obrigada, e isso faz com que tudo, obrigada obrigada obrigada!, também esteja bem. o que me leva, mais uma vez, a constatar que não dependo de nada nem de ninguém para estar bem - obrigada! - e que, ultimamente, este bem estar tem sido tranquilo e bom de sentir.
é. hoje é só isto, nada assim muito importante ou, pelo contrário, mais importante do que tudo o resto que até hoje já aqui escrevi, mais espontâneo, mais verdadeiro, sem que nada sufoque o meu peito, sem que nada me prense a cabeça, obrigada, estou bem, e então vou andando. ainda não sei o que vai ser o jantar, mas qualquer coisa se há-de arranjar, a tralha já já irei pô-la no lixo, a sala vai ficar arrumada e depois, amanhã, outro dia, quero pintar-lhe as paredes de branco. estar bem, afinal, é tão fácil, é só bem me quero bem me quero bem me quero e não dou sequer a hipótese de, em algum momento, não me querer mais ou me querer mal. 
e vocês?...

10 comentários:

  1. eu estou mesmo mal, obg!

    ResponderEliminar
  2. Estou sempre ótima!rssss
    Beijos alegres!
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  3. Feliz, serena e confiante. O que é óptimo, claro!

    ResponderEliminar
  4. É engraçado, e não sei se isto será só do povo português, mas que é raro ouvir-se duma santa boquinha "estou bem, obrigada", ai lá isso é.

    Será que o inglês também anda sempre em modo "more or less" ou o tailandês "มากหรือน้อย" (estes lindos gatafunhos vieram em "copy paste" do google translate) :D

    E eu, mesmo que estive hoje em dia mais ou menos, só o que sorri, ri e me identifiquei neste texto com as tralhas que crescem como cogumelos em vários cantos desta casa, jantares das crianças por vezes atrasados devido ao vício, sim vício do livro das caras e afins..., iria andando daqui ... certamente, muito bem! ♥

    ResponderEliminar
  5. EU estou MUITO BEM muito obrigado.
    Conheci este belíssimo sítio, desde o momento que resolvi conquistar a minha liberdade. Tive sede de conhecer, ler, aprender mais sobre estados de espírito, as pessoas, da vida e entre muitas outras coisas. Vida da qual tinha andado meio ausente, esquecendo-me do tudo o que existia para lá do “meu mundo”. E aqui tenho aprendido muito, tive a oportunidade de ler textos belíssimos que são escritos com muita alma.
    Já agora, não estou em nenhum dos sítios longínquos indicados, ando mesmo aqui pela tranquilidade e paz do Baixo Alentejo.
    Bom Ano Novo e tudo de bom para poder continuar a escrever e nos proporcionar o prazer de ler.

    ResponderEliminar
  6. que querida Mary :) muito obrigada. e também gosto imenso do Baixo Alentejo.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Eu estou bem, obrigada... E sou bem, obrigada ;o)

    ResponderEliminar