quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

ɐ l ʄ ɑ ɓ ɜ ʈ θ ʂ ~*.


acreditam que sim, que falam a mesma língua.
que ele dizer
amo-te
e ela
ɐɱθ~tɜ
os irá levar ao mesmo refúgio e que irão servir-se das mesmas metáforas, dos mesmos padrões, das mesmas vivências. 
ou seja, irão entender-se.
ele bate
tum~tum
ela ouve
⊺ʉɱ::⊺ʉɱ
e abre-lhe ɒ ƥθʀʈ∀
mas ele não entra, porque não vê porta nenhuma.
os alfabetos são como os afectos
diz ela
cada um tem os seus
e mostra-lhe os dela ::
ɐ l ʄ ɑ ɓ ɜ ʈ θ  ɖe ∀fəc⊺⊙ʂ
se lhe falarem de afectos, talvez não saiba o que são.
afectos
diz ele
e ela não sabe o que são.
∀ɱ⨀ʁ?
e ele não reconhece a expressão.
mas, sim, acreditam :: que falam do mesmo. 
falam de ʈuɗɸ e ʈuɗɸ é um mundo
tudo e nada e um mundo para ele
ʈuɗɸ ɜ ɴɐɖ∀ ⋿ ʋʍ ɱ∪nɖ⨀
para ela.
falam sempre do mesmo :
só que em línguas diferentes.

Sem comentários:

Publicar um comentário